Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Doenças que são comuns nos gatos

Quando se trata da saúde dos nossos bichanos, sempre temos que ficar com os olhos bem abertos, pois sabemos que existem muitas doenças no mundo da saúde felina.

E que infelizmente, algumas delas podem acabar até levando o seu gatinho a morte.

Como queremos sempre ver nossos bichanos saudáveis e com disposição para dar e vender, devemos nos preocupar com essa questão da saúde.

Conhecer um pouco sobre as doenças e o que nós, como tutores, podemos fazer para ajudar o nosso bichano é essencial.

Para auxiliar você nessa missão, separamos um conteúdo do Guia Para Um Gato de 14 Vidas sobre algumas doenças que são comuns e explicaremos sobre elas, o tratamento, sinais clínicos, tudo que você precisa saber! Vamos lá?

Infecção urinária em gatos

A infecção urinária acontece com muita frequência nos gatos.

Geralmente ela é ocasionada por bactérias, promovendo a infecção, ou então é decorrente de uma inflamação ocasionada pelas bactérias.

A formação de cálculos também estimula a doença, má-formação ou causas idiopáticas.

E se não for diagnosticada ou tratada corretamente, pode evoluir para complicações mais sérias em todo o trato urinário.

Como evitar a infecção urinária em gatos

O desenvolvimento da doença acontece principalmente pela baixa ingestão de água, comum nos gatos.

Para ajudar com esse problema, veja as dicas desse vídeo abaixo:

Todas as dicas sempre embasadas pelo Guia Para Um Gato de 14 Vidas

Além da questão da água, também influenciam situações de estresse, alterações na alimentação e falta de higiene.

  • A ingestão de água está extremamente ligada com o aparecimento de doenças no trato urinário, por isso, tenha uma fonte e sempre deixe água disponível para o gato.

O uso incorreto de medicamentos também pode levar a quadros de inflamação e infecção. Além de má formações, por exemplo, seu gato pode ter nascido com alguma alteração anatômica, que facilite que a infecção urinária se desenvolva.

Quais os sinais clínicos da infecção urinária em gatos

 Quanto antes você descobrir que o seu gato pode estar com uma infecção urinária, melhor será para o tratamento e também para atrasar  avanço da doença.

Todas as tutoras e tutores que já conhecem o Guia Para Um Gato de 14 Vidas já conhecem todas essas informações há muito tempo e conseguem prevenir as principais doenças.

Alguns dos sinais são:

  • Dor e dificuldade para urinar
  • Presença de sangue na urina
  • Excesso de lambedura na região genital
  • Prostração
  • Redução do apetite
  • Urina diversas vezes e em pouca quantidade
  • Odor na urina

Caso o seu bichano manifeste algum desses sinais, procure um Médico Veterinário para iniciar o diagnóstico e tratamento adequado.

Antes que a doença acabe avançando prejudicando toda vesícula urinária e rins.

Há tratamento caseiro para infecção urinária em gatos?

Em se tratando de uma doença que gera bastante desconforto e tem bactérias envolvidas, o melhor tratamento é com medicações!

Ou seja, procurando o auxílio do Médico Veterinário!

O seu médico pode até sugerir terapias complementares, que podem auxiliar no tratamento, como acrescentar algo natural na alimentação.

Somente o Médico Veterinário é capaz de prescrever um tratamento adequado para o seu bichano.

Já que podem estar presentes diferentes tipos de bactérias ocasionando a infecção, se for um cálculo urinário, é preciso saber do que ele é feito e como removê-lo.

Por isso, nada de procurar tratamentos caseiros na internet, ok?

Tratamento clínico da infecção urinária em gatos

Comentando de forma clínica, o Médico Veterinário irá receitar um antibiótico que combata a bactéria, ou seja, pode ser requisitado uma cultura de urina e urinálise – para identificar qual bactéria está presente e se há alterações na urina; antibiograma – para identificar a qual antibiótico a bactéria é sensível.

Medicações para dor também são utilizadas, com o intuito de aliviar o desconforto.

O que fazer para que o gato não tenha mais infecção urinária?

Infelizmente não tem como dizer que o seu gato nunca mais terá infecção urinária, porque essas situações podem acontecer.

Você deve seguir as instruções que comentamos no primeiro tópico para evitar a doença e principalmente as instruções do Guia Para Um Gato de 14 Vidas.

Para os que amam terapias complementares, existem algumas opções como:

Trocar a areia da caixinha – as vezes alguma substância da areia pode estar favorecendo ao aparecimento da infecção, você pode mudar a areia e comprar de outra marca. Além disso, é importante ser feita uma limpeza poderosa na caixinha, ela deve ser limpa duas vezes, todos os dias!

Homeopatia – é uma terapia auxiliar, tendo a função de aumentar a imunidade dependendo da medicação. Você pode conversar com um Veterinário que trabalhe nessa área para fazer um tratamento auxiliar.

Acupuntura – a acupuntura tem resultados maravilhosos! E de acordo com os chineses, algumas das manifestações urinárias, podem ocorrer por conta do desequilíbrio de alguma energia. A acupuntura é uma ótima maneira de prevenir e ser suporte no tratamento.

Quanto tempo dura o tratamento da infecção urinária em gatos?

O tratamento sempre irá depender da evolução da doença e como o seu gato respondeu ao tratamento.

Vamos supor que a bactéria ainda esteja resistente ao tratamento, será necessário fazer uma troca de antibiótico e mudar o protocolo.

Em condições normais e básicas, o tratamento da infecção urinária em média dura de 7 a 10 dias.

E se forem necessários mais dias, quem irá avaliar é o Médico Veterinário.

Alimentação adequada na infecção urinária em gatos

A alimentação auxilia muito no processo de recuperação, por conta da dor, os gatos acabam se alimentando menos.

Então escolha alimentos que o seu gato gosta de comer!

Prefira alimentos mais saudáveis, naturais e que tenham uma porcentagem de água alta na sua composição, como os ensinados AQUI NESSE VÍDEO.

Caso o seu gato tenha um cálculo urinário, é melhor tomar cuidado até descobrir porque esse cálculo apareceu.

Muitas vezes uma alimentação inadequada favorece o aparecimento de alguns cálculos, então cuidado!

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Doenças nos olhos dos gatos

Mais especificamente vamos comentar a respeito da úlcera de córnea, que é caracterizada como uma lesão na córnea.

E isso é muito comum de acontecer, seja com seu bichano esfregando o rosto em alguma coisa, arranhão de outro animal ou corpo estranho.

O principal problema da úlcera de córnea é o seu tamanho e a extensão da sua lesão.

Porque se ela não for tratada corretamente, a lesão aumenta, causa mais incomodo e pode até prejudicar a visão.

Justamente falamos bastante nesse vídeo sobre a importância de conseguir identificar os principais problemas de saúde que podem acontecer com seu gato. 

Assista pois é importante.

Como evitar a úlcera de córnea em gatos

Não existe uma forma 100% eficaz de evitar que a úlcera apareça, porque apenas com uma simples esfregada de rosto no chão, já pode fazer uma lesão no olho.

Alguns cuidados básicos podem ser feitos, como:

  • Evitar com que seu gato tenha contato com plantas com espinhos ou árvores que possam perfurar
  • Evitar contato com superfícies que sejam pontiagudas, como paredes de muros e cercas
  • Se os pelos dos seu gato estão muito grandes na região próxima aos olhos, corte os pelos
Quais os sinais clínicos da úlcera de córnea em gatos

Os sinais clínicos são facilmente identificados, principalmente com a progressão da doença, eles tendem a se agravar. Preste atenção em sinais como:

  • Lacrimejamento excessivo
  • Olho avermelhado
  • Pálpebras inchadas
  • Blefarospasmos – piscar diversas vezes
  • Fotofobia – dificuldade em manter os olhos abertos ao estimulo luminoso
  • Região da córnea mais esbranquiçada

Visualmente, não é difícil de identificar a úlcera de córnea, os sinais clínicos dela são bem característicos.

O que não pode acontecer é você ficar esperando com que melhore sozinho, porque isso não vai acontecer.

Há tratamento caseiro para úlcera de córnea em gatos?

A úlcera de córnea é uma porta aberta para bactérias e os resultados da doença se não tratados corretamente, fazem com que o quadro vá de mal a pior.

Por isso, não tem como fazer um tratamento caseiro para a úlcera de córnea.

Um tratamento auxiliar que pode ser sugerido pelo veterinário.

Você comentar com o seu Médico Veterinário sobre isso, um tratamento auxiliar poderia ser uma gaze molhada com chá de camomila frio.

O chá de camomila tem efeito calmante e reduz a inflamação!

Mas deve ser comentado e recomendado pelo médico veterinário!

Tratamento clínico da úlcera de córnea em gatos

O diagnóstico da úlcera de córnea é feito com um colírio, para identificar a presença da úlcera.

Dependendo da gravidade, o Médico Veterinário pode optar por um tratamento cirúrgico.

Comentando sobre o tratamento clínico, ele é feito apenas com o uso de colírios – medicações específicas para os olhos; porque muitas das medicações normais, não tem efeito nos olhos.

O tratamento mais usado é antibiótico associado com anti-inflamatório.

Quanto tempo dura o tratamento da úlcera de córnea em gatos?

O tempo de tratamento depende do quão grave está a lesões e seus acometimentos.

Vamos supor que você levou o seu gato ao Médico Veterinário no começo das manifestações clínicas, então, o tratamento em média dura de 10 dias, no qual a córnea terá cicatrizado por completo.

Tratamentos mais longos podem ocorrer quando a córnea está gravemente acometida, sendo necessário intervenção cirúrgica.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Resfriado em gatos

A rinotraqueíte felina é popularmente chamada de resfriado ou então gripe nos gatos.

Essa doença é bastante comum, por ser altamente transmissível e contagiosa entre os gatos.

Ela é uma doença viral que é transmitida por espirros, saliva, secreção nasal ou ocular.

Os gatos que são imunossuprimidos tem maiores chances de serem contagiados pela doença.

Nós comentamos que a doença é transmitida por um vírus, sendo ele o herpesvírus tipo 1 ou então conhecido como FHV-1.

É muito comum que esse vírus se manifeste em locais com muitos gatos, como abrigos e gatis.

Como evitar resfriado em gatos

Se você adotou o seu gato recentemente, pode ser que o vírus esteja encubado ou que então, o seu gato já esteja sarando “sozinho” da doença.

A melhor maneira de evitar, é ter cuidado quando seu gato entra em contato com outros gatos, principalmente se você não sabe se ele é vacinado ou não. A gente comenta algo sobre contato com outros gatos aqui.

Sempre deixe os utensílios do seu gato limpo, seja cama, caixa de areia e brinquedos.

Porque as secreções podem se acumular ali e o vírus ficar ali, esperando para contagiar o próximo gato.

Quais os sinais clínicos de resfriado em gatos

Os sinais clínicos são bem específicos, por isso que muitos tutores chamam a doença de gripe.

Então caso o seu gato manifeste alguns desses sinais abaixo, leve-o ao médico veterinário:

  • Tosse
  • Espirros
  • Secreção ocular
  • Secreção nasal
  • Dificuldade para se alimentar
  • Dificuldade para respirar
  • Conjuntivite
  • Ceratoconjuntivite seca

Inicialmente os sinais começam mais brandos e depois começam a evoluir e se tornarem mais preocupantes se o tratamento não for correto.

Atingindo principalmente a região ocular, visto que o vírus tem preferência pela região.

Há tratamento caseiro para resfriado em gatos?

A resposta é que não há tratamento caseiro para a doença, porque sua evolução é muito rápida e pode se tornar mais grave com facilidade.

Obviamente existem gatos que são mais resistentes na questão de imunidade, porém, outros gatos podem ter a imunidade mais baixa, dificultando o prognóstico da doença.

Tratamento clínico de resfriado em gatos

O tratamento clínico deve ser seguido corretamente, focando principalmente em aumentar a imunidade, para que o gato seja capaz de criar defesas contra o vírus.

Nesse caso, o Médico Veterinário receita antibióticos, para impedir as infecções secundárias, vitaminas e medicações que aumentem a imunidade – dependendo da evolução da doença.

Medicações oculares também são prescritas dependendo da lesão ocular presente, sendo colírios ou pomadas em especial.

O que fazer para que o gato não tenha mais resfriado?

No período do tratamento, deixe o seu gato mais isolado dos outros gatos, caso contrário todos serão contagiados pela doença.

O ideal é que seu gato fique em repouso durante o período das medicações e recebendo uma atenção especial.

Não esqueça também de realizar a vacinação, é muito importante que a vacina seja realizada anualmente, evitando assim, o aparecimento da doença.

Se você seguir todas as recomendações do Guia Para Um Gato de 14 Vidas, seu gato provavelmente já estará com uma imunidade bem alta, tornando mais difícil contrair a doença.

Quanto tempo dura o tratamento de resfriado em gatos?

O tratamento depende do grau de avanço da doença.

Em média, a maioria dos casos duram entre 10 a 15 dias de tratamento.

Essa média varia de acordo com o estado de cada paciente.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Doença Renal em gatos

Os rins são órgãos de extrema importância, eles são responsáveis pela filtração do sangue, produção urinária, controle de substâncias fundamentais para o organismo, controle hormonal e da pressão arterial e também na excreção de substâncias.

Só com essas informações, já dá pra ver como os rins são importantes não é?

Se o seu funcionamento não é adequado, diversas das funções são comprometidas e infelizmente, a medida que a função renal vai diminuindo, ela não se regenera.

E alguns fatores colaboram para isso acontecer, que é a baixa ingestão hídrica, que sobrecarrega muito os rins.

Por isso que no Guia Para Um Gato de 14 Vidas colocamos TODOS os tratamentos corretos para o gato, principalmente no que diz respeito a alimentação, para que tutores responsáveis evitem essa doença.

Batemos muito forte nessa tecla ali, devido a importância e gravidade do tema.

Como evitar doença renal em gatos

Não existe uma maneira 100% eficaz de evitar a doença renal, porque com o passar da idade, muitos dos gatos podem ter a doença renal presente.

O primeiro fator que influencia isso, é que os gatos possuem 200 mil néfrons aproximadamente, enquanto os cães têm 400 mil.

A ingestão hídrica é a forma mais conhecida para evitar algumas das manifestações da doença, fornecendo mais água e também tendo uma alimentação mais úmida.

A alimentação natural é uma ÓTIMA alternativa, conforme falamos nesse vídeo.

Quais os sinais clínicos da doença renal em gatos

Vamos lembrar que os sinais não começam da noite para o dia, tudo acontece de forma muito progressiva.

A medida que a doença vai avançando, os sinais vão ficando mais intensos.

Por isso que temos a importância de conhecer bem os sintomas das principais doenças de gatos e realizar um check-up anual nos nossos bichanos para avaliar se todas as funções estão normais.

Os primeiros sinais começam a ser:

  • Dificuldade para alimentar-se
  • Excesso de ingestão de água
  • Aumento da urina – urinando em volumes maiores
  • Urina muito clara

Os outros sinais são:

  • Emagrecimento progressivo
  • Anemia
  • Anorexia
  • Aumento da pressão arterial
  • Desidratação
  • Vômito e diarreia

A importância do diagnóstico correto desses sinais clínicos é muito importante.

Principalmente porque existem exames que são capazes de identificar se há comprometimento renal ou não.

Há tratamento caseiro para doença renal em gatos?

Não há tratamento caseiro para doença renal, visto que a doença é muito séria!

Realizar qualquer medida caseira para amenizar os sinais é o mesmo que estar colocando a saúde do seu amigo em risco.

Tratamento clínico para doença renal em gatos

O tratamento clínico varia de cada paciente para cada paciente, visto que cada gato apresenta uma evolução diferente da doença.

E isso varia também do estágio em que a doença está.

Vale lembrar, que a doença renal não é uma doença que tem cura!

Uma vez que seu gato foi diagnosticado com ela, a vida toda ele terá essa doença.

O controle da sua progressão é feito então com o uso de medicações para manutenção e amenização dos sinais clínicos, alterações na alimentação – utilização de alimentação renal e fluidoterapia.

O que fazer para que o gato não tenha mais doença renal?

Como comentamos que a doença não tem cura, uma maneira de prevenção é utilizar alimentação úmida associada com a alimentação seca, evitar alimentações que contenham muito sódio, estimular a ingestão hídrica do seu bichano.

O Guia Para Um Gato de 14 Vidas é especialmente conhecido por falar em detalhes sobre alimentação para gatos.

Explicando passo a passo como fazer alimentação natural específica para gatos e também como escolher as melhores rações (escolher a ração errada pode ser um VENENO!).

E, novamente, não esqueça de realizar um check-up uma vez ao ano se o seu gato tiver 5 anos. Acima disso, o check-up deve ser feito duas vezes ao ano.

Quanto tempo dura o tratamento de doença renal em gatos?

O tratamento não tem prazo para acabar, é algo que vai durar para a vida toda do seu bichano.

Por isso que é chamado de tratamento de manutenção, para minimizar o agravamento dos sinais clínicos e trazer qualidade de vida ao seu bichano.

Alimentação adequada na doença renal em gatos

A alimentação adequada consiste na troca da ração normal, para uma ração específica para pacientes renais. A alimentação também deve conter maiores quantidades de água, podendo ela ser mais úmida – sem excesso de sódio.

Geralmente em pacientes renais, é indicado buscar Médicos Veterinários que trabalhem com alimentação natural ou dietoterapia, para promover uma alimentação mais saudável para seu bichano.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

FIV/FELV

As doenças mais temidas pelos bichanos e seus tutores com certeza são a FIV e FeLV!

As duas não são a mesma coisa, a FeVL, é causada por um vírus, que gera a leucemia felina. Já a FIV é também transmitida por um vírus, que ocasiona a imunodeficiência felina.

Ela é muito contagiosa, principalmente em locais que possuem grandes aglomerações de gatos e gatos que já estão com a imunidade comprometida.

O contagio da FIV é muito simples, sendo pelo contato direto de gato sadio para infectado, mordidas, arranhões – que podem acontecer em brigas, brincadeiras e disputa de território.

Já na FeLV, tudo acontece de maneira muito inesperada e o que acontece principalmente, são infecções secundárias pela baixa imunidade.

A transmissão acontece pelo contato com a saliva de gatos infectados, sangue, corrimento nasal, ocular, fezes e até mesmo no leite.

Como evitar a FIV/FeLV em gatos

Comentamos principalmente que ambas as doenças são transmitidas pelo contato com um gato infectado, certo?

Então a melhor maneira de evitar, é não deixar o seu gato ter contato com outros bichanos que não estão sadios, principalmente gatos que vivem na rua ou que ficam soltos.

Existem muitas lendas e informações erradas que a mídia, principalmente a TV, nos passam sobre os gatos e que induzem DIVERSOS donos a erro.

Achar que o gato deve ficar “livre na rua” é só um desses erros.

Falamos desse erro e de um outro erro MUITO cometido pelos donos de gatos por causa disso AQUI. Assista após essa matéria para não cometer esses erros.

Outra maneira que atua na prevenção, é realizar a vacinação!

Antes de tudo, é importante que ao adotar o seu gato, seja feito um teste rápido para identificar se ele está com o vírus ou não.

Se não estiver com o vírus, a maneira de prevenção é a vacinação anual!

Quais os sinais clínicos da FIV/FeLV em gatos

Os sinais clínicos da FIV não são muitos específicos, isso porque, o vírus pode demorar algum tempo para começar a manifestar os sinais, sendo eles:

  • Anorexia
  • Redução do peso
  • Depressão
  • Redução de células do sistema imunológico
  • Anemia
  • Problemas dermatológicos
  • Baixa imunidade – ficando doente sempre

Já os sinais clínicos mais comuns da leucemia são os seguintes:

  • Doenças sanguíneas
  • Redução da imunidade
  • Tumores malignos
  • Leucemia

As doenças não apresentam sinais muito específicos, visto que, muitos dos sinais podem aparecer associados ou não a doença.

Por isso, vemos a importância de realizar o teste rápido e agir o mais rápido possível.

Há tratamento caseiro para FIV / FeLV em gatos?

Infelizmente não há tratamento caseiro para ambas as doenças, as duas são muito perigosas e o tratamento deve ser estabelecido apenas pelo médico veterinário.

Tratamento clínico para FIV / FeLV em gatos

Vale ressaltar, que ambas doenças não possuem cura, uma vez que o seu gato for diagnosticado com elas, ele sempre será um portador da doença.

Isso não significa que o seu gato vai adoecer logo, obviamente não. Ambas doenças possuem expectativas longas de vida.

O que acontece, é que seu gato terá que fazer tratamento para o resto da vida, seja com medicações para aumentar imunidade, combater câncer e combater as infecções secundárias que podem surgir com a baixa imunidade.

Isso varia, de acordo com cada manifestação clínica.

O que fazer para que o gato não tenha mais FIV / FeLV?

Como comentamos, uma vez que o seu gato for diagnosticado, não tem como voltar atrás e retirar o vírus.

Ele ficará incubado e agindo no seu gato para sempre!

O que deve ser feito é o tratamento de manutenção, para que ele tenha uma vida com qualidade e saúde.

Quanto tempo dura o tratamento de FIV / FeLV em gatos?

O tratamento dura para vida toda, mas aqui acontece principalmente quando o gato tem manifestações clínicas.

Focando principalmente em aumentar a imunidade para evitar que outras doenças acabem se instalando e prejudicando a saúde do seu gato.

Alimentação adequada na FIV / FeLV em gatos

Como o tratamento é para toda vida, é interessante buscar um profissional que seja especialista em alimentação natural ou dietoterapia, para associar vitaminas e alimentos saudáveis para o bichano.

A alimentação saudável influencia muito em como será a saúde do seu bichano!

Invista em uma alimentação com bastante proteína, quanto mais natural, melhor, nela terão os antioxidantes, vitaminas e minerais que o gato precisa.

Assista a esse vídeo para saber mais sobre alimentação natural e seus benefícios.

E falando em antioxidantes, eles são muito importantes também, porque um gato com FIV e FeLV, tem dificuldade para realizar o processo de oxidação, então, você pode buscar alimentos que contenham:

  • Zinco
  • Selênio
  • Vitamina A, C e E

O açafrão da terra em pó também é uma ótima opção, podendo ser misturado uma colher de chá na ração.

Além disso, busque fornecer opções que tenham:

  • Ômega 3 – tem efeito anti-inflamatório e anti-neoplásico
  • Arginina – retarda o crescimento neoplásico

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Gato com ferida aberta

Existem diversos tipos de feridas que podem ser consideradas abertas, e elas são de grande preocupação, pois são uma porta de entrada para infecções.

Além de provocarem dor e inflamação no local.

Essas feridas podem acontecer por diversos motivos, seja por brigas, acidentes, quedas, cortes e entre outros.

A classificação de gravidade de uma ferida depende da sua extensão, região acometida, profundidade – se há comprometimento de pele, músculo, vasos e camadas mais internas; conteúdo que provocou a ferida e o tempo.

A partir do tempo que a ferida é gerada, a infecção já se instala com até duas horas!

Dependendo do que gerou a ferida, a infecção já é instalada na hora.

Como evitar ferida aberta em gatos

Acidentes acontecem e eles podem sempre estar presentes, a melhor maneira de evitar, é conhecer bem o ambiente que seu gato vive, evitar com que ele tenha acesso a rua, contato com animais agressivos, substâncias perfuro cortantes, telar sempre as janelas e sacadas.

AQUI nós falamos como saber tudo o que você precisa saber sobre como preparar sua casa para seus gatinhos e diversas outras informações importantes.

Quais os sinais clínicos de ferida aberta em gatos

Os sinais clínicos aqui são bem específicos, sendo eles:

  • Desconforto local
  • Sangramento na região
  • Inchaço
  • Presença de secreção
  • Divulsão da pele
  • Corpo estranho no local – em alguns casos

Analisando rapidamente, geralmente o corte sempre parece pequeno, mas quando é retirado o pelo ao redor, o tamanho do corte pode surpreender.

Há tratamento caseiro para ferida aberta em gatos?

Tudo é mais complexo do que a gente imagina, há feridas que uma limpeza simples em casa pode ser feita, mas isso seria em casos de cortes minúsculos, que não há quase nada de sangramento!

No pacote do Guia Para Um Gato de 14 Vidas falamos sobre primeiros socorros em gatos também.

Agora, em feridas maiores, com maior acometimento, não há nada de tratamento caseiro.

O tratamento deve ser feito pelo médico veterinário e dependendo da gravidade, pode até ser realizada uma intervenção cirúrgica.

Por meio das dúvidas, é melhor buscar o Médico Veterinário e tirar suas dúvidas.

Tratamento clínico para ferida aberta em gatos

Ao levar o seu gato a um hospital veterinário, o corpo clínico irá avaliar a gravidade da ferida.

Há feridas que são tratadas por primeira, segunda e terceira intenção. Pode acontecer de retalhos cirúrgicos terem que ser feitos, dependendo da gravidade.

Analisando como uma ferida simples, o tratamento estabelecido na maioria dos casos é feito com medicações para controle da dor, inflamação, infecção e limpeza do local.

O que fazer para que o gato não tenha mais ferida aberta?

Não tem como evitar 100% que isso aconteça, porque acidentes sempre acontecem.

O que você deve fazer é evitar ao máximo, qualquer ambiente e situação que proporcione perigo para seu bichano.

Prepare sua casa da melhor forma possível para seu gatinho.

Quanto tempo dura o tratamento de ferida aberta em gatos?

O tratamento depende da gravidade que a ferida teve e também do comprometimento do responsável.

O processo de cicatrização da pele acaba entre 7 a 10 dias, para cicatrização de outros tecidos sempre acaba demorando um pouco mais.

Em feridas mais abertas e graves, o tratamento pode durar até mais de um mês.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Sarna em gatos

A sarna é uma doença extremamente contagiosa, inclusive para nós humanos!

É uma doença que aumenta muito rápido, ocasionando diversos problemas para saúde do seu bichano, desde desconforto, lesões e infecções secundárias.

A sarna é transmitida por um ácaro, podendo acontecer o contato direto com o ácaro – por meio de utensílios contaminados; ou então com outros animais que estejam infectados.

A sarna mais conhecida nos gatos tem o nome de sarna demodécica, e é sobre ela que vamos comentar aqui.

O ácaro causador da doença é o D. cati. Essa é mais difícil de ser identificada e ocasiona principalmente a queda de pelos.

Como evitar sarna em gatos

            Devemos focar nos meios de contágio da sarna, então, evite com que seu gato tenha acesso a locais desconhecidos, sujos, evite o contato com gatos desconhecidos, os quais você não sabe a respeito da saúde.

Também deixe todos os utensílios do seu gato sempre limpos, como escova, cama, roupinhas, tapetes e entre outros.

Quais os sinais clínicos de sarna em gatos

            Os sinais clínicos podem ser assim como podem não ser tão específicos, alguns deles são:

  • Queda de pelo
  • Pele com coloração avermelhada
  • Formação de crostas e caspas
  • Excesso de lambedura no local
  • Presença de secreção
  • Feridas geralmente visíveis em rosto e orelhas

Caso o seu bichano manifeste alguns desses sinais, procure um Médico Veterinário.

Há tratamento caseiro para sarna em gatos?

O tratamento da sarna sempre deve ser feito com medicações, principalmente porque ela é ocasionada por um ácaro, e para mata-lo, é preciso de medicação.

Além das demais medicações para tratar as feridas consequentes da doença.

Dependendo da gravidade, você pode buscar algumas alternativas, como utilizar um xampu específico para retirada da sarna.

Geralmente esses produtos ajudam a reduzir os sinais, mas não o desaparecimento da doença!

Sabonetes que possuem ação bactericida também auxiliam, mas, novamente, não evitam o aparecimento da doença.

O azeite de oliva ou óleo de coco é ótimo para manter a pele hidratada, visto que ela fica muito ressecada quando a sarna está presente.

Você pode aplicar um pouco no local, para auxiliar no processo de hidratação da pele.

Obviamente, esse tipo de tratamento, deve estar sempre associado ao tratamento clínico.

Porque todos esses produtos, não são capazes de eliminar o ácaro, e sim minimizar os sinais de desconforto que ele proporciona.

Tratamento clínico para sarna em gatos

Após realizado o diagnóstico o tratamento da sarna pode variar, com qual tipo de sarna o gato possui.

Na maioria dos casos, o tratamento é feito com medicações parasiticidas, antibióticos e anti-inflamatórios, além da limpeza do local.

O que fazer para que o gato não tenha mais sarna?

Uma medida eficaz, além das que comentamos no tópico de evitar, é realizar a proteção como medida de prevenção.

Você pode pedir ao seu Médico Veterinário uma medicação de uso mensal, para evitar com que a sarna apareça novamente.

Nós falamos muito aqui nessa apresentação sobre a importância da prevenção.

Quanto tempo dura o tratamento de sarna em gatos?

O período do tratamento varia em média entre 10 e 30 dias, dependendo do acometimento e da gravidade do caso.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção

Doenças que a castração evita no gato e na gata

Comentando primeiramente sobre as doenças acima, nenhuma das doenças que falamos até aqui são evitadas com a castração.

O que pode auxiliar em algumas doenças é fazer a castração para evitar que seu gato tenha acesso a rua ou faça brigas de território com outros gatos.

Mas isso não é uma garantia de prevenção contra as doenças.

Nos gatos, a castração previne:

  • Câncer de próstata
  • Câncer de testículo
  • Cálculos urinários

Nas gatas, a castração previne:

  • Aparecimento de neoplasias mamárias
  • Infecção uterina
  • Câncer de ovário
  • Neoplasia uterina

O que mais pode ser feito para evitar doenças?

Muitas tutoras e tutores de gatos pensam que já sabem tudo o que se há para saber sobre os gatos, quando na verdade são induzidos a diversos tratamentos e atitudes incorretas.

Principalmente por conta da mídia ou mesmo das indústrias de ração.

Informar-se sobre as verdadeiras necessidades dos gatos, alimentação correta e prevenção de doenças é ESSENCIAL.

Para se aprofundar mais sobre o assunto e também para que você saiba tudo o que precisa saber para não causar uma morte prematura em seu gatinho sem querer, preparamos um vídeo para você.

Clique aqui e assista a esse vídeo para saber mais sobre tudo isso e também a saber como evitar que você mesma esteja causando alguma doença em seu gato sem querer.

É de extrema importância.

Ufa! Você ficou com alguma dúvida? Se sim, pode entrar em contato com a gente que vamos responde-la, esperamos que tenham gostado do texto e de todas as informações.

Principais Doenças de Gatos, Tratamentos E Prevenção